Performance, teatro, rua, cidade e convergências e divergências e pontos de fuga e trajetórias concêntricas e infindáveis

O Errática é um coletivo de teatro e performance gerado no Curso de Teatro da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul/Uergs. Em atividade profissional desde 2012, desenvolve uma pesquisa continuada de linguagem, focada em processos colaborativos de criação, pesquisa e criação de dramaturgias autorais e transcriações de textos da dramaturgia mundial. Em 2015, o Coletivo Errática foi contemplado com o Prêmio Nacional para Cultura de Redes – Categoria Local do Ministério da Cultura.

ESPETÁCULOS

Ramal 340: sobre a migração das sardinhas ou porque as pessoas simplesmente vão embora (2014-2015), financiado pelo Fundo de Apoio a Cultura do Rio Grande do Sul – FAC-RS/2013. Indicado em todas as categorias do Prêmio Açoriano de Teatro 2016 recebendo os prêmios de Melhor Espetáculo, Melhor Figurino e Melhor Cenário. Ramal 340 foi indicado, com importantes produções do país, em 10 categorias da premiação nacional Prêmio ATEB/Cenym 2017, recebendo os prêmios de Melhor Direção de Arte, Melhor Qualidade Técnica e Melhores Efeitos Sonoros 

PLUGUE: um desvio imaginativo (2017), financiado pelo Fundo Municipal de Apoio à Produção Artística e Cultural de Porto Alegre – FUMPROARTE/2016.

Macbodas: tequila, guacamole y algo más (2014), realizado em um depósito abandonado da L.F. de Oliveira, distribuidora de bebidas da cidade de Montenegro. Indicado aos Prêmios Mais Teatro Revelação 2015 de Melhor Espetáculo, Melhor Direção, Melhor Atriz, Melhor Ator.

K.3: resta o corpo quando não se tem mais nada (2015), apresentado no teatro Terezynha Petry Cardona, em Montenegro.

Kóstia, não morra! ou Da dura tarefa de não atirar contra a própria cabeça (2015), apresentado no teatro Roberto Atayde Cardona, em Montenegro.

PERFORMANCES

Santagostina ou Da delicadeza com que a água carrega os cadáveres (2014), realizada coletivamente nas ruas de Montenegro, criada a partir da ocupação da draga Santa Justina, abandonada às margens do rio Caí em Montenegro.

Shake de amor (2013), realizada coletivamente nas ruas de Montenegro.

Denúncia (2013), concebida e realizada por Guega Peixoto nas ruas de Montenegro.

Velocidade 2 (2013), concebida e realizada por Thaís Backes nas ruas de Montenegro.

Desejos (2013), concebida e realizada por Luan Silveira nas ruas de Montenegro.

Vadia do litoral (2013), concebida e realizada por Gustavo Dienstmann nas ruas de Montenegro.

Dog days (2013), realizada coletivamente na Unidade de Montenegro da Uergs, com versão alternativa apresentada na unidade de Santana do Livramento da mesma universidade.

O barão nas árvores (2012), realizada coletivamente nas ruas de Montenegro.

LABORATÓRIOS DE PERCEPÇÃO

Nossos Laboratórios de Percepção são atividades de convívio em que o fazer teatral é um elemento potente de agregação, normalmente realizados com coletivos humanos marginalizados.

Narrativas da memória (2015/2016). A ação consistiu em uma série de cinco encontros com 20 mulheres internas da Ala feminina da Penitenciária Modulada Estadual de Montenegro, durante os quais propusemos criar teatro a partir das memórias do grupo.

Tempo-movimento (2014), realizado na Casa de Repouso Doce Lar em Dois Irmãos em dois encontros com 30 idosos residentes no local.

Para maiores informações, veja o Portfólio do Errática (13,5mb).